Muito se tem falado sobre a Indústria 4.0, mas você sabe realmente a que o termo se refere? Considerada como a nova fase da Revolução Industrial (a quarta), ela proporciona às fábricas processos mais modernos e inteligentes. Essa nova fase é marcada pela velocidade, conectividade, autonomia, fusão de tecnologias, dentre outras características.

Com tudo isso, as operações são potencializadas e impactam diretamente na produção industrial, alterando o chão de fábrica e com reflexos no mercado. O fato é que a Indústria 4.0 chegou e promete novos ares para as empresas. Por isso, entendê-la e estar disposto a se adaptar é fundamental para que o seu negócio continue antenado às novidades do mercado e em dia com as soluções inovadoras.

Onde e como surgiu a Indústria 4.0?     

O primeiro contato com o mercado foi realizado em 2011, na Feira de Hannover, na Alemanha. Na época, o governo propôs um projeto de estratégias voltadas à tecnologia nas fábricas. Já em 2012, os responsáveis apresentaram um relatório de recomendações de implantação às autoridades alemãs. Em seguida, no ano de 2013, também em Hannover, foi publicado o trabalho final, que consistia no fundamento e desenvolvimento da Indústria 4.0.

Sua base implicava na conexão das máquinas e sistemas, a automação industrial. Assim, as empresas poderiam controlar a produção com redes mais inteligentes e quase que de forma autônoma. As fábricas ligadas a esse conceito teriam assertividade e autonomia para prever falhas nos processos e se adaptarem às mudanças e requisitos não planejados anteriormente.

Atuação na prática da automação industrial

Suas expertises e seus efeitos podem ser aplicados à realidade da indústria com bastante ênfase, atuando em áreas e processos, como:

  • Produção adaptativa – a indústria segue exatamente a demanda. A produção se adapta ao que é, de fato, necessário. Possibilitando mais flexibilidade e otimização;
  • Tomada de decisões descentralizada – os sistemas poderão adequar as decisões às necessidades da produção em tempo real. E, além de comandos, as máquinas fornecerão dados sobre seus procedimentos realizados;
  • Rastreabilidade – a Indústria 4.0 permite o monitoramento em tempo real dos processos de produção a partir de sensores presentes na planta industrial.

Essas são atuações específicas e alguns dos efeitos do conceito 4.0 na rotina industrial. E, muito além deles, é possível adaptar sua funcionalidade para diversos métodos e processos. Tudo isso, de acordo com as necessidades de cada empresa.

Os impactos dessa nova forma de entender, pensar e praticar as operações já podem ser identificados. Afinal, profissionais e empresas já procuram formas de implementar e se adaptar, causando grandes mudanças no mercado.

De fato, a Indústria 4.0 pode proporcionar a customização da produção, tornando-se maleável às escolhas e exigências dos clientes, potencializando a segurança e aumentando a confiabilidade nos processos e máquinas.

O seu negócio está adaptado às novidades da Indústria 4.0? Para acompanhar as rápidas mudanças é fundamental estar atento a tudo que acontece. Acompanhe a APTA nas redes sociais e fique por dentro do que acontece na área de automação industrial!